GAUFF Stiftung

Conjunto nacional de casos de histórico familiar de cancro do pâncreas

Todos os anos surgem na Alemanha cerca de 10 000 novos casos de cancro do pâncreas. O carcinoma pancreático é a quinta causa mais frequente de morte entre pessoas de ambos os sexos na Alemanha.

Um em cada vinte pacientes diagnosticados com cancro do pâncreas tem um familiar em primeiro grau que desenvolve o mesmo tipo de cancro. Nestes casos, podemos referir-nos a um histórico familiar de cancro do pâncreas. As hipóteses de cura dos doentes são bastante superiores, se o tumor for detetado numa fase inicial e se puder ser removido cirurgicamente. Por esta razão, é importante identificar as pessoas que tenham uma maior predisposição para desenvolver cancro do pâncreas, para as poder encaminhar para um programa de rastreio específico.

Esse foi o mote para, em 1999, o Hospital Universitário de Marburgo ter desenvolvido o Conjunto nacional de casos de histórico familiar de cancro do pâncreas (Nationale Fallsammlung für familiäre Pankreaskarzinome – FaPaCa), um projeto orientado para o paciente. O objetivo é passar por investigar a influência que a predisposição genética e outros fatores externos têm no histórico familiar de cancro do pâncreas. O resultado das descobertas deverá servir para melhorar a prevenção, o diagnóstico precoce e aumentar as probabilidades de cura dos membros de famílias em que se registe um histórico de cancro do pâncreas.

A fundação GAUFF há muito que está empenhada na luta contra o cancro e também apoia o projeto FaPaCa. Um aspeto importante é a pesquisa de indicadores que forneçam informações sobre a predisposição genética dos doentes. No âmbito do projeto FaPaCa, também está a ser desenvolvido este aspeto da investigação para definir possíveis marcadores biológicos de diagnóstico, que possibilitem um reconhecimento atempado da predisposição familiar.