GAUFF Stiftung

Vítimas do terror

Num atentado à bomba em Mossul/Iraque, o jovem de 16 anos, Baschar, perdeu o seu braço direito. A Fundação GAUFF soube do acidente e convidou-o para fazer exames médicos na Alemanha.

O Iraque não tem paz. Mossul, a segunda maior cidade do país, é especialmente assolada pelo terror. A família de Baschar (nome alterado) vinha de um casamento, quando foi completamente dilacerada por uma explosão de bomba. O pai de Baschar morreu ainda no local do sinistro, atingido no pescoço. Outros estilhaços de bomba destroçaram o joelho do seu irmão e feriram a mãe de tal forma no braço, que esta perdeu a sensibilidade no mesmo. O próprio Baschar ficou sem o braço direito.

A Fundação GAUFF soube, através de um parceiro de negócios, de Baschar e da sua família, e pagou-lhe a viagem até Nuremberga, para ser submetido a exames médicos. Aí os médicos optimizaram não só a sua prótese, como iniciaram outras fases do tratamento. Dentro de alguns anos, quando o corpo de Baschar crescer, deve ser-lhe ajustada uma nova prótese, melhor a nível óptico e mecânico.  

Publicações